7 palavras em inglês que são difíceis de traduzir

A língua inglesa é uma das mais ricas em vocabulário do mundo, com algumas palavras de sentido único, que só existem no idioma e não podem ser traduzidas propriamente para nenhuma outra língua do planeta, incluindo o português.

No texto a seguir, você descobre 7 dessas palavras que não possuem uma correlata específica ou que são extremamente difíceis de traduzir.

Confira também diversas curiosidades sobre cada uma delas e como seria possível usá-las em português. Acompanhe!

1 Auto-tuned

Nos últimos anos, são poucos os cantores que utilizam suas vozes originais nas músicas.

A grande maioria faz correções digitais tanto na performance sonora quanto instrumental das suas produções.

Na língua inglesa, podemos dizer que músicas assim estão “auto-tuned”, uma palavra em inglês bastante difícil de traduzir e que não possui um correspondente em praticamente nenhum outro idioma do planeta.

Esse adjetivo descreve músicas ou cantores que têm suas imperfeições, erros e falta de sintonia disfarçados digitalmente por softwares de edição de áudio.

E é com essa palavras a única forma de o traduzirmos para o português. Melhor usarmos na forma original como já fazemos, não é mesmo?

O mais interessante é que um dos primeiros softwares de edição de áudio lançado nos Estados Unidos se chamava Auto-Tune.

Então talvez essa seja a origem da palavra.

Sobre o vocabulário inglês, tem outras matérias que você vai gostar de ler também:

2 Spam

Essa todo mundo conhece e odeia: “Spam”, que é usada para referir-se tanto a e-mails fraudulentos quanto ao ato de usar sistemas eletrônicos para enviar esse tipo de e-mail indiscriminadamente.

Essa palavra nasceu na língua inglesa e nenhum outro idioma do mundo possui uma expressão para nomear esses conceitos e, consequentemente, quase em todos os países do planeta, “Spam” é usado em sua forma e sentido originais, como é o caso do Brasil.

“Spam” também é o nome de uma carne comum nos Estados Unidos, mas nesse caso não tem nada a ver com e-mails.

A carne têm esse nome pois ele forma um acrônimo para os termos ingleses “Spiced Ham”, que em português significa “Fiambre Condimentado.

E o mais interessante é que existe até um Museu dedicado a carne Spam. Localizado no estado americano de Minnesota, o The Spam Museum abriga eventos de culinário e exibe um acervo que conta a história do produto.

3 Facepalm

“Facepalm” descreve o gesto de pôr a mão sobre o rosto como um sinal de exasperação e é uma palavra bastante popular nos estados unidos.

O gesto, obviamente, é conhecido e feito mundialmente, mas, por mais surpreendente que possa parecer, nenhum outro idioma parece ter uma expressão para ele.

É o caso do português, por exemplo. Aqui no Brasil, podemos traduzi-lo como “mão no rosto” ou “palma no rosto”, mas nenhum chega perto da ideia de sentido transmitida por “Facepalm”.

Para chegarmos o mais perto possível, temos que usar não menos que 5, 6 palavras diferentes.

Uma curiosidade sobre essa palavra é que ela é tão popular, não só nos Estados Unidos, mas no mundo, que até virou o tema de inúmeros memes que inundam a internet e você até já deve ter visto vários por aí.

Pois embora a palavra não seja muito usada por aqui, seus memes são bastante populares na internet brasileira.

4 Kitsch

“Kitsch” é outra palavra em inglês extremamente difícil de traduzir e é tão complexa que o melhor mesmo é nem tentar.

Ela não é uma palavra de origem inglesa, pois foi emprestada do alemão e, inicialmente, descreve toda arte que tenha sido copiada de outro estilo, mas que seja “brega”, “barata”, “sentimental” e “vulgar”.

Mas sua ideia de sentido não se restringe a isso.

O “Kitsch” também está presente na política, religião, arquitetura, economia, erotismo e praticamente toda a esfera da vida, em cada uma indicando práticas diferentes, mas com o mesmo sentido de “brega”.

Aqui no Brasil, obviamente, não possuímos uma palavra correlata. Na verdade, nenhum outro país do mundo possui, com exceção da Alemanha, de onde a palavra foi emprestada.

A tradução também é difícil em qualquer idioma.

5 Googly

O  termo “Googly” descreve um movimento bastante complicado do jogo de Críquete.

Nele, o jogador realiza uma espécie de movimento curvo, fazendo um giro com sua mão direita sobre o lado direito do corpo.

Ele é bastante importante no Críquete, mas dificilmente é usado, pois seu maior trunfo é o fator surpresa que ele possui.

E, assim como o próprio jogo, é praticamente desconhecido por aqui, onde não há sequer uma tradução para ele.

O mesmo acontece em praticamente todos os outros idiomas do planeta e o “Googly” é tão exclusivo que sua página no Wikipedia só está disponível na língua inglesa. Já ouviu falar nele?

6 Serendipity

Sabe quando você deu aquela sorte grande de achar dinheiro na rua ou ganhou um presente que nem esperava ganhar?

Então, você teve um “serendipity”.

Essa palavra da língua inglesa é usada para descrever momentos como esses: uma descoberta inesperada, mas muito feliz.

Em 2004, uma agência de tradução Britânica votou nela como sendo uma das palavras mais difíceis de se traduzir do mundo, principalmente por conta das diferentes natureza de sentido que ela adquire a depender do contexto.

Aqui no Brasil podemos até traduzi-la como “sorte grande”, “coincidência” ou “acidente feliz”, mas nenhum chega perto do real sentido de “serendipity”.

7 Trade-off

Você muito provavelmente já se viu em uma situação em que teve que fazer uma sofrida escolha entre duas coisas muito boas, mas escolhendo uma tinha que perder tudo aquilo que a outra oferecia.

Para situações como essa, os americanos usam a expressão “Trade-off”, palavra que poderia ser traduzida para nossa língua como “relação de compromisso”.

Seu sentido descreve justamente situações como a citada acima, em que é preciso escolher entre duas coisas boas, ponderando as vantagens e desvantagens de cada uma, ou duas coisas ruins, em que é necessário escolher o “menos pior”.

Como todas as outras citadas aqui, também é bastante difícil de ser traduzida em seu real sentido.

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>